Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]



Paz

autoria de Bruno C. da Cruz, em 22.10.07

Mata-me em silêncio, que o meu barulho magoa-te mais e ouvir-me sempre foi ruído que te estragou a tela. Mata-me devagar, que mais depressa te esqueces de mim, já que de esquecimentos te alimentaste tu sempre que tentei entrar mais dentro. Mata-me de noite, que a manhã deixa marcas a mais e longe de mim querer marcar-te o egoísmo. Mata-me de olhos fechados, que no meu olhar vive tudo o que não queres ver.

 

Mata-me hoje, que amanhã é tarde demais.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 20:29


Comentar:

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.




Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

  Pesquisar no Blog