Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]



Crónica de um louco sentimental - Louco em estado terminal

autoria de Bruno C. da Cruz, em 14.11.04

Eu não quero ouvir o que tens para me dizer. Não quero saber onde estiveste, se tiveste saudades, se choraste por mim, se me quiseste. Eu não quero nem saber. As explicações perderam o prazo de validade e morreram na tua boca, cemitério de palavras…

Tu, que comeste a minha alma e despertaste em mim este meu lado doente, devias saber que é tarde para me pintares respostas em cima dos porquês que arranhei na minha pele, enquanto tu acreditavas poder viver sem mim num mundo onde não existe mais ninguém para além de nós dois e os Eus que habitam as nossas loucuras escuras.

Eu não consigo ver onde começam as tuas mentiras e terminam as minhas verdades. Fiquei sem poder para avaliar o estado temporal e consciente do nosso lado irregular, que vai e vem sem avisar ou dar sinal de alerta.

Ando aqui a terminar os buracos que cavei para tu caíres no momento crucial da tua volta, mas a meio parei para descansar do tormento que é ter-te na cabeça a servir de consciência pesada, que me grita em vozes demoníacas mostrando a tua vontade de acabar com o templo que um dia profanaste: Eu!

Eu não quero saber. Não importa se o amanhã vai chegar a tempo de me curar as mazelas que deixaste impregnadas no habitat natural do meu ser, o corpo morto que hoje rasteja com asas de borboleta em tempo de casulo. Hoje eu não quero cura para o meu mal de duas letras: Tu!

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 02:20


27 comentários

Sem imagem de perfil

De Anónimo a 15.11.2004 às 02:23

P/ TMara: Amén :po rapaz que pensava que o mundo era redondo
</a>
(mailto:m@pt.pt)
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 15.11.2004 às 00:46

olá, gostei do teu blog...parabéns !!! passa no meu tb...beijocas da aninha....aninha
(http://anapaula7.blogs.sapo.pt)
(mailto:napaulamoschino@hotmail.com)
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 14.11.2004 às 23:11

O melhor de ler é conseguirmos identificarmo-nos com pessoas que nunca vimos e sentirmos cada frase como se fosse escrita para nós ou sobre nós e tu tens esse dom.. É repetição dizer que adoro ler os teus textos pk sei que escreves com alma e que eles vêm exactamente do sitio certo: do coração! Beijitos :)Hideous
(http://angelwings.blogs.sapo.pt)
(mailto:hideousgirl@sapo.pt)
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 14.11.2004 às 21:22

Whoo... este texto... minha nossa. Bem... para alem de tocar em varios aspectos que mexem com determinados assuntos da minha vida pessoal esta muito bem contruido e retrata uma grande revolta.
;) **Mika
</a>
(mailto:lenabelo@hotmail.com)
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 14.11.2004 às 20:12

Mas tu não sabes escrever nada que seja mau? Não tens vergonha? Cada vez que aqui venho só vejo textos que me surpreendem e me dão uma inveja imensa. Além disso tens sempre uma selecção musical digna de nota. Vê lá se começas a dizer umas coisas sem sentido e a perder o bom gosto musical, ok?pauxana
(http://dasletras.blogs.sapo.pt)
(mailto:pauxana@sapo.pt)
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 14.11.2004 às 19:04

Nas crónicas de um louco I puseste-me a chorar... Como disse na altura qd comentei, senti-me nua! PArecia q tinhas entrado na minha cabeça e lido tudo aquilo q por aqui vagueia. Agora, mais uma x sou tendenciosa em deixar q estas palavras se encaixem em mim... N descreveria melhor aquilo q sinto... Lindo!miss antipatia
(http://www.missantipatia.blogs.sapo.pt)
(mailto:missantipatia@sapo.pt)
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 14.11.2004 às 19:02

Este rapaz de louco tem pouco,acho bastante lucido ... Nao es so o idolo do tonto,lol.Beijokas****Monica
(http://wwwmypapermoon.blogspot.com)
(mailto:mnh@sapo.pt)
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 14.11.2004 às 17:52

Costuma-se dizer que os opostos se tocam!!! Ora és paixão ardente e infinita; ora és raiva em tormento infinito... Gostei do poema, cheio de força da admirável dor da paixão em raiva! Beijinhos e intéAran_aran
(http://capricornioemim.blogs.sapo.pt/)
(mailto:Aran_aran@sapo.pt)
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 14.11.2004 às 11:16

Querer ficar sendo corroído pela razão da sua própria existência, e através dela ver-se consumido pela tinta que se espalha de forma tão homogénea que te dissipa lentamente...até ao dia...até ao dia da tua metamorfose para um ser completo e rejuvenescedor, até ao dia...em que as forças se relibertem e te presenteiem com a determinação, a intensidade, a persistência...a tudo aquilo que é desvirtuado, e que fora criado naquele dia..................................

bjo grande....e já agora é dignificante aparecerem as nossas palavras nos "best off", gostei!Luciana Freitas
</a>
(mailto:sofialuciana_3@hotmail.com)
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 14.11.2004 às 08:50

Abençoada a loucura num mundo de insanos. abençoada a loucura criativa como um belo e outonal dia de chuva, em k a água cai a drtº, mansa e tépida, entranhando-se na terra e aí provocando a reprodução da vida (vegetal e animal).
Abençoados os assim loucos pois deles é o reino da vida.
Bj @-',--TMara
</a>
(mailto:conceicaoeugenio@hotmail.com)

Comentar post





Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

  Pesquisar no Blog