Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]



Soneto inútil

autoria de Bruno C. da Cruz, em 18.11.04

Sinto que sofro e sigo a vida triste,

Como se todos os dias fossem iguais,
À espera daquela dádiva que não existe,
Mas que é a espera de todos os mortais!

 

Sinto que a cada dia que passa, carrego dor a mais,
E sinto que é inútil esperar por quem não vem.
Mas eu só sei viver assim, a morrer de amores irreais
E a suspirar, por quem nem sequer coração tem!

 

Sinto que sou o único assim no mundo
E que é estupidez amar deste jeito profundo,
A quem de mim não merece nada…

 

Mas sei que não mando no meu coração,
E que é inútil avisá-lo para que não
Se apaixone sempre pela pessoa errada…

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 01:42


45 comentários

Sem imagem de perfil

De Anónimo a 18.11.2004 às 19:30

Nossa rapaz, gostei disso daqui.
Vc parece ser um homem diferente dos outros, sei lá.
Gostei da poesia, muito linda mesmo, mas eu acho que EU consigo mandar em quem vou gostar, eu mando e pronto.
Vou vir sempre aqui.
Gostei mesmo.Valéria
(http://www.umamorpararecordar.blogger.com.br)
(mailto:greengirl747@hotmail.com)

Comentar post




Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

  Pesquisar no Blog