Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]



Crónica de um louco sentimental - O amor é canibal

autoria de Bruno C. da Cruz, em 15.01.05

 

Se me queres comer come-me de uma vez. Não te fiques pela metade. Sem metade eu não sou nem tão pouco me dou. Não me transformes em restos. Come-me com vontade, assim a frio, mesmo que eu não saiba se choro ou se rio. Espeta-me as tuas garras e devora-me sem piedade, não temas pela saudade, estarei dentro de ti. Roi o mais duro de mim e saboreia as minhas fraquezas, engole alegrias fracassos e tristezas. Bebe-me o sangue, o olhar, o pensamento, o riso, o juízo, o ser, o estar, o querer amar. Rasga a minha pele com os teus dentes, mesmo que o sal não esteja a gosto. Come-me o desgosto que é querer e não ter a quem me dar, agora que me tens e me dou ao teu paladar. Trinca-me as mãos que escrevem coisas que eu não percebo e que recebo do além vindas de não sei quem. Se me queres comer, come-me depressa, antes que o arrependimento chegue, fale e aconteça. Come-me.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 21:15


Comentar:

Notificações de respostas serão enviadas por e-mail.

Este blog tem comentários moderados.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.




Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

  Pesquisar no Blog