Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]



Crónica de um louco sentimental - Exausto

autoria de Bruno C. da Cruz, em 27.10.05

 

Um dia tentei mostrar-te o amor mas tu não o viste. Não sei a quem atribuir a tua cegueira, se ao teu coração ou a ti. De qualquer forma, ainda que essa incógnita tivesse, em algum momento, sido importante para mim, agora tanto me faz. Estou demasiado cansado para decifrar perguntas sem respostas. Estou exausto.

Por vezes sinto-me como que a correr numa maratona, onde a meta nunca aparece e onde há sempre um obstáculo para contornar no caminho e me faz ficar cada vez mais com vontade de me sentar a ver a vida passar, como um espectador de um filme alternativo na última sessão.

Entraste tão depressa dentro de mim e quando saíste à pressa, sem avisar, nem tiveste tempo de levar tudo o que era teu. Se ao menos eu te conseguisse expulsar. Mas estou exausto.

Não aguento mais este vicio de te consumir até ao fim sem deixar restos para mais ninguém. A ressaca atormenta-me e no entanto continuas a correr-me no sangue como proteína, como vitamina.

Exausto. Sim, exausto...

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 21:51


36 comentários

Sem imagem de perfil

De Anónimo a 25.02.2006 às 18:24

incrivel, como consegues exprimir sentimentos por palavras... quando li este teu texto deparei me com o que sinto neste momento... como és capaz? simplesmente incrivel... foi a primeira vez que ca passei, e foi por acaso... passarei a visitar o teu blog todos os dias. estou impressionada! incrivel!Joana
(http://()
(mailto:bonekidah_juh@hotmail.com)
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 07.02.2006 às 22:11

nitas tuas palavras =)...calhei aqui por acaso :/...mas tou a gostar imenso de ver...tua forma de te expressares =)... bjsrita
</a>
(mailto:pacific_girl_69@hotmail.com)
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 27.11.2005 às 14:38

tens um blog mtobom... dd ja parabéns...
Eu revejo-e inteiramente neste txt, diz td o ke sinto relativamente a uma relação (ou pseudo... nem sei) que vivo/vivi...
Sinto-me como uma traça perante a chama de uma vela... embora saiba que me vou queimar... ñ me cosigo afastar dela... deve ser uma especie de masoquismo sentimental...rui
</a>
(mailto:ruy.c@sapo.pt)
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 27.11.2005 às 14:12

Porque não consigo deixar de responder a este post. Revejo-me muito nele, e cada vez mais... Sabes escolher as palavras certas como ninguém. BeijoLizaa
(http://boyb.blogspot.com)
(mailto:boybblog@gmail.com)
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 20.11.2005 às 21:30

É terrível como ficam sempre restos que demoram a sair, a "descolar" ... Texto muito bem escrito e fluido de sentimentos acompanhado por uma música lindíssima e que muito bem se enquadra na leitura do texto.

Um beijo e boa semana.Pink
(http://firebud.blogspot.com/)
(mailto:the_pink_lady@sapo.pt)
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 11.11.2005 às 01:31

Sentimento de eternidade/ que espera o seu enobrecimento/ tal como o seu momento/ de sua pura liberdade.
Não sei como expressar/ tal sentimento; encurralado/ dentro do meu coração engunhado/ vendo o tempo a passar.
No dia que encontrar tal alegoria/ repousarei no teu regaço amante/ aliviando minha alma no instante/ com imensa dor e alegria.

Partilho este poema contigo porque não és o único a sofrer quando " a vida dói muito.É real.Não é mais que a vida. Honestamente, é tudo o que temos.". Todos os dias miro os traços da minha mão, na esperança de um sinal.Frou Frou
(http://froufrouletgo.blogspot.com)
(mailto:carlascfranco@hotmail.com)
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 09.11.2005 às 22:29

Gostei muito do seu blog, profundo, sincero e interessante.
Um abraço aqui do paraíso.Melina
(http://www.estranhanoparaiso.blogger.com.br)
(mailto:melinapreto@gmail.com)
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 09.11.2005 às 21:23

A vida em si cansa-nos... É impossivel não nos sentirmos exaustos...
Nunca nos devemos prender a quem não se prende em nós... Ás vezes não sei se te amo ou se amo amar-te...
Sei apenas que és o meu vício... e a tua ausência dói-me... Mas é essa dor que me mata a fome de vida e me saceia a sede da esperança...
Não resisto falar deste de amor que me sufoca e me traz refém...

( Parabéns pelo blog! Pela sensibilidade, coisa rara nos dias de hoje...)
Cate
</a>
(mailto:****@***.pt)
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 08.11.2005 às 22:54

Mais uma gosma mexicana, virgemaria!!!Não interessa
(http://naotinteressa.zip.net)
(mailto:piriri@ziper.nilson)
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 08.11.2005 às 00:55

Bem estou impreccionado com tanto sentimento puro e cristalindo estou sem duvidas fa do teu blog... desistir n faz parte do meu vokabulario e acredita s lutaste ate agr, n acredito k seja altura certa para desitir! um abraço bem grande e felicidades. nunka desistas d lutar, pk kem vai a luta é pk sabe o k é ganhar!Surfer
(http://www.somethingfrommysoul.blog.com)
(mailto:mixsurfer@hotmail.com)

Comentar post


Pág. 1/4




Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

  Pesquisar no Blog